9 de abril de 2011

O amor, por serenata de amor

Eu parei para pensar no amor. É as vezes eu tenho uma dessas de querer entender aquilo que quase ninguém sabe explicar. E nessa minha vontade de tentar entender, eu me peguei pensando em tanta gente que muda quando está com alguém. Sabe como é? A pessoa é uma em casa, mas na frente do seu amado é uma pessoa totalmente diferente. Dizem que quando se gosta de alguém a gente faz de tudo para que aquela pessoa goste da gente também, eu tenho lá minhas dúvidas sobre essa teoria, mas ela que me fez lembrar de uma propaganda muito bacana: a do serenata de amor. Essa propaganda fala justamente disso, quando nos apaixonamos criamos uma projeção perfeita do outro.
Por que temos mania de querer o perfeito do nosso lado? Eu acho isso tudo de ser perfeito um saco. E acredito que o amor está bem longe disso de perfeição.
Amar algo perfeito é muito fácil, e qualquer um pode fazer. Mas o amor de verdade está presente quando se sabe dos defeitos e se aprende a gostar deles também. Aquela mania chata de estalar os dedos, o time do coração que é rival do seu, ou até aquela teimosia persistente que por vezes te tira a paciência! Se ainda assim, com esses e outros defeitos você olha para o seu (sua) parceiro (a) com aquela cara de bobo e o sorriso simplesmente aparece no seu rosto, acredite meu caro, você ama.
Como diz a propaganda, as projeções um dia acabam, mas 'se o que ficou for suficiente para os dois, o amor perdura'.
'O amor é inexplicável' mesmo!
E sorte minha não precisar ser perfeito para se amar.



"Segundo alguns psicanalistas, quando se apaixona, você não se relaciona com alguém de carne e osso mas com uma projeção criada por você mesmo. E a projeção que fazemos é de um ser absolutamente perfeito. Mas depois de um período a projeção acaba e você passa a enxergar de verdade a pessoa com quem voce está se relacionando, e variavelmente algumas virtudes do parceiro e da parceira vão embora junto com a projeção, outras ficam. E se o que ficou de cada um for suficiente para os dois a relação perdura, caso contrário...
Ninguém sabe o que faz o botãozinho ligar e iniciar uma nova projeção, mas fortes indícios apotam para um único e delicioso suspeito: o serenata de amor.
O amor é inexplicável, mas tem umas coisas que você pode entender."

14 comentários:

may disse...

Sinceramente, acredito que quando se ama uma pessoa de verdade, você consegue ser quem você é. Eu por exemplo vi o quanto eu amava o meu namorado e o quanto ele me amava, a partir do momento que eu me sentia a vontade com ele e ele me fazia se sentir assim.

beeijo grande queriida :*

PauloSilva disse...

Quanto ao meu post:
O coração que se foi embora sabia amar. Amava o outro em demasia. Mas este outro não se decidia e por isso foi abandonado. Por amar do seu jeito miserável e medíocre :x

Agradeço os parabéns pelo blogue.

Quanto ao seu post:
«Dizem que quando se gosta de alguém a gente faz de tudo para que aquela pessoa goste da gente também, eu tenho lá minhas dúvidas sobre essa teoria» - Não tenha dúvidas. Pois quem quer ser feliz, está sempre tentando. Lutando.

Além disso não pense muito no amor. Sinta-o.

Beijos.

Bianka disse...

Que liiiiiindo. adorei, video, post e tudo mais aqui seguindoamor

Insana disse...

Vai explicar esse tal de amor,
sou organizada,perfeccionista,calma, teimosa, gosto de coisas práticas, adoro mpb, e muito artistas independentes(que graças a Deus estão surgindo)já meu namorado, é desorganizado, bagunceiro, irritante , adora me encher o saco, mas eu o amo, hehehehe, vai entender, como diria Renato Russo: - Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração, e quem irá dizer que não existe razão ... (Eduardo e Monica)

Beijos!

Thais disse...

Ah, mas mesmo assim... Eu gosto da sensação de estar apaixonada e de ser correspondida. Quando termina, é óbvio, a gente começa a ver quem realmente a pessoa é e pensa "puts, olha quanto tempo eu perdi". hehehe

http://thaisacorrea.com/b/

mfc disse...

Explicar o amor?!
O amor sente-se nos dois sentidos!
Não se pode racionalizá-lo.

Umáyra disse...

o perfeito é enfadonho. bom mesmo é "aquela mania chata de estalar os dedos, o time do coração que é rival do seu, ou até aquela teimosia persistente que por vezes te tira a paciência!"

gostei muito daqui (e você é futura jornalista, só por isso já ganhou meu respeito hahaha)

Beatriz Amorim disse...

Adorei!
Não teria graça se tudo fosse perfeito. As diferenças que fazem com que a gente aprenda muito numa relação a dois.

Um beijo, querida!
E muito obrigada pela visita! Volte sempre! :D

Long Haired Lady disse...

eu diria que não amamos os defeitos, mas os conhecemos e apesar deles ainda amamos a pessoa...

Fernand's disse...

quando a pessoa muda para amar, não está preparado para amar... ser metade não nos permite o amor completo.



bjsmeus

Minne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Minne disse...

Fantástico, acho que é isso mesmo, tem gente que fica tentando se moldar ao gosto alheio para tentar ser alguém para aquela pessoa e fico pensando cá com meus botões, quando ela vai cansar de dissimular ? É bem melhor saber que te admiram pelo que você é, assim, com todos os defeitos mesmo, do que saber que te admiram pelo que você finge ser. Cedo ou tarde as máscaras caem, e as pessoas cansam. Muitos namoram somente para não estarem sozinhos, mais por status social sabe ? Amor é tão mais que isso, vai tão além de uma mero status...

Fernanda Arruda disse...

muito verdadeiro seu texto, direto ao ponto! é, o amor tem dessas coisas que não tem explicação, a gente simplesmente vai vivendo e acho que a mudança ocorre o tempo todo, o casal muda e o entorno também. mas perfeito? impossível!

beijos.

C. disse...

Achei lindinho esse vídeo!

Eu creio que quando inventaram a expressao "alma gêmea", foi para nomear aquela pessoa com quem nos identificamos. Mas, juntamente com esta expressão, vem o encantamento. É preciso ter sempre em mente que a pessoa com quem dividimos nossa vida tem defeitos, da mesma forma que cada um de nós temos. Portanto, se conseguirmos extrair esse lado, digamos, "anjo" da outra pessoa, conseguimos conduzir o relacionamento de uma forma que supera nossas expectativas. Acho.