3 de julho de 2011

Agonia


Deitei, me enrolei nos lençóis e apertei bastante o meu travesseiro. Tão forte como se eu estivesse querendo libertar alguém que estava engasgado. E talvez seja mesmo isso, só que a pessoa engasgada sou eu.
É agora, chegou a hora. O que irá acontecer? Joguei minhas cartas na mesa e para eu saber se ganhei o jogo preciso esperar para ver o que o outro jogador fará. Me ajude a ganhar?
Não consegui dormir, levantei, abri a janela e olhei para o céu, algo pode tocá-lo? Queria ser como ele, está lá no alto e ser inatingível sempre.
O amor que eu sinto pulsa forte no meu peito, a cada batida meu corpo treme e minhas mãos já estão frias feito o gelo.
É medo? Não sei...
Não tenho medo de enfrentar o que tiver de ser para estar com você, não tenho medo do que vão falar, insinuar ou insultar.
Só preciso estar com você, pra sempre.

11 comentários:

Sam. disse...

essa agonia que parece faltar uma parte de nosso corpo, mas que não nos pertence!

sei bem como são essas noites!

Um beijo!
Boa semana!

=]

Crista disse...

Quando se quer alguém,nada importa...nem os comentários...nada...o importante é estar juntinho para sempre...até quando durar!

Dil Santos disse...

Oi Jéssica, tudo bem?
Menina, quando a gente ama, procuramos lutar contra tudo e contra todas para vivermos esse amor.
Adorei o texto, rsrs.
Ai menina, pois é, sempre é uma surpresa boa encontrar baianos por aqui, rsrsrs.
Que bom q gostou dos meus versos menina, convido então voltar mais vezes e tbm a vota em mim para o prêmio TopBlog, rsrsrs
Bjo menina

Aleatoriamente disse...

Lindo moça.
Uma intensidade poética.
Alma exposta.

Beijinho.
Fernanda

Fred Caju disse...

Um para sempre não deixa de ser agoniante. Ótimo, parabéns!

Gaúcho disse...

Essa técnica de usar o travesseiro é muito boa para alivar dor de cabeça. Mas, voltando ao assunto, espero que tenha jogado uma boa mão. Mas não tema, apenas faça o que for possível, sem negligenciar jamais o amor.

Abraços e boa semana.

Gaúcho

Minne disse...

Amor é isso mesmo, apostar todas as fichas na incerteza de ganhar ou perder, apostar com gosto e sem medo de conclusões alheias.
"Queria ser como ele, está lá no alto e ser inatingível sempre." Maravilhoso, Jéssica!

Ana Flavya disse...

Queremos para sempre, e rezamos para também sermos queridas para sempre.

Buba. disse...

Essa "agonia" que é a vida, o amor.. Mas no final, é coisa boa somente!

Cynthia Osório disse...

enforcar um travesseiro às vezes cura estes engasgos. Ótimo texto!

Obrigada pela visita no blog!

Por que você faz poema? disse...

Agonia que não cessa.