16 de maio de 2013

Igualdade, enfim.


Finalmente vou poder casar! Pois é. Depois de discussões e protestos, todos os cartórios brasileiros deverão oficializar a união de casais homossexuais. Em tempos de pastores que dizem quem vai para o céu ou para o inferno, ao mesmo tempo que estupram fieis da igreja e sujam o nome de Deus, desestabilizando os que realmente estão por fé; isso é um sinal de que ainda existem pessoas que tem a cabeça livre de qualquer preconceito, e só acham, assim como eu, que qualquer um tem o direito de escolher o que é melhor para si. O último vídeo do Felipe Neto, falando sobre homofobia, conseguiu me fazer vibrar com afirmativas inteligentes sobre o assunto. E acredito eu, que se você não é gay, não tem porque achar que o mundo vai virar gay depois disso. Que mal faz oficializar o amor entre duas pessoas? Pecado deveria ser violentar, matar ou agredir. Porque se importam tão menos com essas coisas? As vezes fico pensando que as pessoas inverteram os valores da vida. O que o outro faz entre quatro paredes, ou com quem troca afetos e carícias, se tornou mais assustador do que a fome ou do que os políticos fazem com a nossa saúde e educação. O amor deveria ser nosso bem principal! E eu concordo com quem não quer ver duas mulheres se pegando na rua. Eu também não quero. Motel existe para isso. Para duas mulheres, dois homens, um homem e uma mulher, e até para dois E.Ts. Meu limite termina onde começa o seu, isso serve para todos. Fora isso, as minhas escolhas não devem ser apontadas ou criticadas por ninguém. Cada qual sabe 'a dor e a alegria' de ser quem é. E eu fico realmente muito feliz em saber que, mesmo atrasado, o nosso país está começando a andar. Porque só quando formos totalmente livres de qualquer preconceito, conseguiremos ser um país desenvolvido. Não é o dinheiro que fará de nós melhores, será a compaixão e o respeito um pelo outro. E esse é sim um grande passo. Não é modinha, não é aberração, não deveria ser notícia. É algo tão normal, que é uma pena que as pessoas ainda façam alarde com coisas assim. Espero que magro, alto, cabelo vermelho, homossexual, travesti, rockeiro, punk, hippie; qualquer um que pareça diferente, seja respeitado pela sua singularidade. Vivemos em uma sociedade e não há condições que todos pensem ou ajam como nós. O legal é justamente o diferente, o que completa, o que preenche. Estou verdadeiramente feliz com mais uma vitória da igualdade no nosso país. Não somos diferentes. E não aja como se fosse. O segredo de ser tratado com igualdade é agir igualmente. É respeitar! Acredito que a partir de agora é cada um cuidado do seu e vivendo a vida da melhor maneira possível. Sem agredir, sem rejeitar, sem apontar. Que cada um carregue com si somente o peso que tem a sua vida. Seja de alegrias, dificuldades ou simplesmente amor. E não esqueçam de fazer casamentos lindos, com tudo que tem direito, e o mais importante, sentimento de verdade. Porque em meio a essa sociedade suja que estamos vivendo, um casal homossexual que está junto somente pelo amor verdadeiro, é realmente um tapa de luva. Viva o amor!

Coloco abaixo um vídeo de um casamento lindo entre dois homens que vi há pouco tempo e que me deixou com os olhos cheios d'água. É só amor!


Teaser // Alécio e Luiz Felipe from Brigadeiro Filmes on Vimeo.

4 comentários:

Dayane disse...

Parabéns pela coquista, Jéssica!Seu texto é emocionante!Concordo com vc: pq o amor de duas pessoas assusta mais que um pastor violentando 20 mulheres?Tenho certeza que dirão que pra esse pastor, há salvação, e que homossexuais já estão condenados. O cúmulo da ignorância!Fico feliz por sua felicidade, pela do meu irmão (que tbm é homossexual) e pq isso é um avanço não só para vcs, mas para tds nós!

Brunno Duprat disse...

Você foi muito feliz nas colocações, sábias palavras, Sua lucidez é excepcional. Belo texto e, como há muito canta Lulu: Consideramos justa toda forma de amor!

Erica Ferro disse...

Eu concordo plenamente com suas colocações, Jéssica. Concordo com o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Não sei por que demorou tanto a ser "liberado". Também não consigo entender por que a sociedade "temeu" tanto a liberação do casamento civil gay. Ora, se uma pessoa não é gay, por que ela vai se importar, se incomodar porque gays podem se casar? Isso só me faz pensar que a pessoa é gay, mas não tem coragem de assumir quem é e morre de inveja daquelas pessoas que têm essa coragem, que amam sem medo, que se casam e que são felizes sendo quem são. É assim que eu vejo esse tipo de comportamento tão anti-gays.
Muito bem destacada pelo Brunno o trecho da bela música do Lulu.
Quem é que pode julgar o amor de alguém e dizer se é sincero, se é legítimo, se é ou não pecado? Ninguém. Não vê esses pastores que pregam uma coisa e fazem coisas hediondas por trás dos bastidores? Quem é que está realmente pecando?
Ah, Jéssica... Eu, sinceramente, prefiro crer que realmente toda forma de amor, se for amor puro e sincero, é justa, é aceitável e precisa ser respeitada.
Estou com você nessa!
Espero que em breve você possa casar com o seu amor, fazer uma festa daquelas e comemorar bem muito esse momento mágico.
Ah, e não esqueça de tirar fotos pra me mostrar, viu?

Um abraço da @ericona.

Sacudindo Palavras

Rafael Ayala disse...

Lindo texto, Jéssica! E parabéns! Por tudo! Fica o desejo de sinceras felicidades, de coração. Você merece ^^.

E vamos viver o amor, vamos amar. Porque, olha, tá faltando amor nesse mundo!

Parabéns pelo texto e pela conquista!

Beijos e abraços
=]