2 de julho de 2010

Quando toda nação chora junto


Como se adaptar com uma derrota se já se está acostumado em sempre ganhar?
Como sair da brincadeira agora, se ela ainda não acabou?
Pois é Brasil, esse ano não foi nosso.
Não foi nossa a vitória do campeonato, não foi nossa a taça.
Mas acho muito feio vir agora e falar mal da seleção.
A taça não foi nossa, mas foi nosso o maior grito, foi nosso o mais lindo gol, foi nossa a festa o tempo todo.
Nós brasileiros, não somos torcedores simplesmente, somos apaixonados pelo nosso time, loucos pelo nosso país, e todos os brasileiros de cada canto dessa terra, pararam para ver o seu time jogar, pararam para gritar e chutar as bolas juntos, e estiveram todos os 48 min do segundo tempo alí ainda acreditando que tudo poderia mudar com um gol. E não podemos deixar que isso se vá por causa de uma derrota. A torcida brasileira é diferente de todas, porque não é torcedora só de grito, é de coração e de alma.
Agora não adianta mais falar, acabou.
É hora de levantar a cabeça e esperar, para que em 2014, aqui na nossa terra, possamos mostrar como a melhor seleção do mundo joga de verdade.

Porque guerreiro também perde, mas nunca deixa de lutar.

5 comentários:

Anônimo disse...

Sinceramente... Nunca apreendi nada de quem vence.

Henrique Miné disse...

sempre passa na Tv e eu sempre me emociono com aquela galera que mora nos confins do Acre, sei lá, e faz um savrifício pra assistir o jogo.

Porra, passou um cara que viaja seis horas de barco pra ir, e doze pra voltar só pra BUSCAR O DIESEL que ele usa no gerador pra TV!

Depois não entendem pq o Brasil é o país do futebol.

beeeeeeeijos.

Daninha disse...

Um dia se ganha, no outro se perde...
Fazer o que .-.
Beijos

@Jota disse...

Sério bixo. Quando leio textos que falam bonito da seleção me da vontade de chorar, rs.

Concordo com cada palavra, principalmente com essa última frase. O que fica é o grito, a paixão, o amor, e o verdadeiro patriotismo.

Larissa disse...

Era mais que um jogo. Para nós, brasileiros, é sempre mais do que uma simples copa. Achei triste, muito triste. Mas somos uma nação inteira lamentando junto. E isso tudo que nos une é digno, tem seu lado bom, mesmo quando desagrada. Espírito esportivo e mais que isso: cumplicidade, lealdade ao fato de sermos algo só. Um país inteiro, mesmo que de quatro em quatro anos.