10 de março de 2010

Sem título -.-


“Pra falar a verdade não era por aquela pessoa que eu estava ansiosa.

Na minha cabeça eu achava que não aconteceria mais nada quando eu a encontrasse, e que eu não teria nenhuma reação além do sorriso fraterno.

Mas foi aí que lá estava eu conversando distraída e vi meio que escondido aquele ser pra quem eu prometi um presente dos céus.

Nossos olhos se juntaram e um sorriso meio sem jeito apareceu nos nossos rostos... Minha barriga estremeceu e gelou na mesma hora. Ao mesmo tempo em que eu fingi não ver, meus olhos buscaram o dela desesperados...

Ela tinha se perdido naquele mundaréu de gente, mas meu coração não se aquietou.

A conversa já não me parecia tão atraente e meus olhos continuaram a busca, até que percebi ao meu lado quem eu procurava.

Incrível que achei que quando olhasse naqueles olhos de novo, eles estariam meio frios, meio que fugindo dos meus... ou então seriam os meus os fujões.

Mas como se escapa de um imã?

Todo o momento que estive ao lado daquela pessoa e olhei nos seus olhos eu simplesmente não conseguir parar, e por algum motivo ela também não.

Meu coração estava desesperado, eu queria terminar o que tinha começado antes, queria dar uma chance para a felicidade que poderia ser diferente.

Será que pra pessoa o sentimento de antes tinha morrido, ou simplesmente estava tentando esconder de mim porque deveria esconder do ‘mundo’?

Apesar que eu sentia que existia algo, o que fez o meu sentimento retornar e me acompanhar durante o resto do dia.

Quis ligar, tentar uma reaproximação, quis tentar provar que daria certo, quis tentar convencer, quis dizer o que estava planejando antes da "bomba explodir", quis reconquistar, quis encantar...
Lembrei do dia olhando o mar, lembrei do jeito como não nos importávamos em ser felizes, como nos faltava juízo! Ah... Que saudade daquele gosto de mel, que saudade daquela carinha que só aquele serzinho sabia fazer e me deixava sem escolha a não ser me render... Eu realmente não resistia! E hoje foi muito difícil resistir. Sabe quando você olha para um ser lindo que tem o poder de mexer com os seus sentidos, quando você não consegue mais se controlar e inventa uma desculpa qualquer para sair dali antes que você lhe roube um beijo ou diga tudo o que seu coração está gritando?”

Respire fundo e parei de tentar explicar ao mar tudo que senti naquele dia. Sentei naquela areia fria, sentindo aquela maresia que vinha e arrepiava a minha pele, e olhei para o céu. Por incrível que pareça só havia a lua, cheia e linda como sempre, e uma estrela que brilhava mais que todas as outras que devem existir.

Impossível esquecer:

- Foi a estrela que lhe dei – falei a mim mesma em meio a um sorriso.






ps > alguém poderia dar uma sugestão pra título desse conto?
Obrigada!

@jessicatrabuco
www.formspring.me/jessicatrabuco

3 comentários:

Rafael Ayala disse...

Pode ser "A estrela que lhe dei"?

E sim, minha mesma dúvida: "Mas como se escapa de um imã?"

Se algum dia descobrir poderia me contar?

Bonito texto.

Beijos!
=]

Princesa Moderna! disse...

lindo! amei!
beijos

pGf disse...

"PROMESSAS E UM SORRISO" ??
naõ sou boa pra títulos
lindo texto. beijo grande