1 de dezembro de 2012

Tantos mundos em um só



Ela: Pronto, eu já fiz o meu café. É sim, daquele solúvel, tradicional, com muito açúcar e uma colher de chá de leite em pó. Já pode me contar, o que há? 

Ele: Acho graça do poder da vida de fazer com que milhares de seres convivam em um mesmo espaço com vidas, traumas, ambições e desejos diferentes. Já parou para pensar quantos mundos existem dentro de um ônibus lotado? Cada um com o seu pensamento, com seu objetivo... É tão estranha essa grandiosidade da vida. Já sentiu? Um dia eu disse que ia escrever sobre isso. Mas um livro, estudando sobre o assunto. Coisa de gente importante, saca? 

Ela: E que mal há nisso tudo? Não é só mais um sinal da perfeita imperfeição humana?

Ele: É que daí eu começo a imaginar que é muita imaturidade da minha parte achar que eu sou o protagonista disso aqui. Que eu tenho super poderes e que vou salvar o mundo... Vai dizer que nunca pensou assim.

Ela: Pensei. Mas continuo pensando. Não importa quantos outros mundos existam, eu sempre serei a atriz principal do meu. Ou você acha mesmo que me deslumbrando com todos esses outros "mundos" eu vou fazer o meu girar?


4 comentários:

Van disse...

Oi Jéssica

Reflexões... Reflexões... Pra mim sem conclusões... Os mundos são vastos.

Beijos

Tanara Adriano disse...

absolutamente maravilhoso!!
adoraria se me seguisse querida!
Beijos!

PauloSilva disse...

Palavras autênticas!
Muito bons os diálogos!
Eu também serei sempre o centro do meu mundo, essa é que é a verdade!
E todos deveriam agir assim: sendo o protagonista das suas vidas, procurando a sua felicidade juntamente à felicidade dos outros.
Abraço.

Erica Ferro disse...

É preciso nunca perder a noção da grandiosidade do mundo, mas, principalmente, é essencial que nunca esqueçamos do nosso próprio mundo.

Um abraço, minha querida.

Sacudindo Palavras