22 de setembro de 2009

A ida ao circo

Resolvi postar aqui hoje uma parte do livro que estou escrevendo, essa parte foi uma das últimas que escrevi e sempre que a leio de novo sinto cheiro de doce! Espero que possam sentir o mesmo! Queria agradecer também aos comentários fofos que venho recebendo, são muito especiais pra mim: todos! Agradeço também selinhos que ganhei, e assim que tiver um tempinho a mais coloco eles aqui!
Boa leitura!




"[...]Cheguei na frente do circo, o portão estava entreaberto e eu não pensei duas vezes antes de entrar. Parecia mais uma missão impossível como a do pen drive.
Tinham malabaristas com suas bolas, um mágico que mexia numas cartas, umas crianças correndo com bolas cheias de ar nas mãos, contorcionistas... Eu estava encantada!
O incrível é que me olhavam e sorriam, o contrário do que eu esperava, já que eu era uma intrusa lá dentro.
Logo na minha frente tinha a grande tenda e meus olhos encheram de lágrimas, lembrei da minha primeira ida ao circo. Voltei no tempo e acabei sem poder controlar as lágrimas.
-Como é que uma menina tão linda pode chorar na frente da grande tenda de um circo?!
Olhei para trás e me deparei com um anãozinho. Ele estava de roupas coloridas, rosto pintado, era como um bobo da corte.
Sorri e enxuguei meus olhos.
- É que me lembrei de uma coisa que me deu saudade.
- Entendo. - Falava ele colocando a mão no queixo, tentando ser compreensível. - Mas em circo não se chora, muito pelo contrário! Em circo a gente ri até sentir dor nas bochechas. - O bobo da corte estalou os dedos -Vem! Eu vou te mostrar.
Sem me perguntar nada o anãozinho me puxou pelo braço e me levou para dentro da grande tenda. Tinha gente lá dentro, eram várias crianças que pareciam de rua, estavam com caras de ansiedade.
-Senta aí, já já você vai ri.
Não entendi, mas sentei. Aquele era mesmo um mundo encantado e eu me sentia confortavelmente bem ali dentro. O anão me trouxe um algodão doce e disse para eu ficar à vontade que ele precisaria fazer alguma coisa, mas voltaria logo.
Me senti de volta à infância naquele circo, maravilhada com aquele algodão doce enorme nas minhas mãos. Foi exatamente quando eu experimentava meu primeiro pedacinho de algodão rosa que uns tambores soaram e uma explosão aconteceu.
As crianças gritaram, eu confesso que tomei um susto, mas estava tentando me confortar:
“Isso é um circo Luísa, é só uma parte de algum show.”
Ri sozinha.
Foi então que vi, saindo daquele fumaça, tossindo grosseiramente e com ar de quem estava sufocado, o meu palhaço!

Você precisa descobrir sozinha

Não tinha reparado como ele tinha um ar bondoso. Lá estava ele, tímidos cabelos brancos, um lindo sorriso no rosto, cheio de tinta, aquele nariz vermelho, sua roupa colorida e reluzente.
E as crianças estavam tão admiradas com aquele palhaço!
Quis chamá-lo e perguntar tudo o que tinha para perguntar naquela hora mesmo. Mas não era justo estragar o espetáculo daquelas crianças, elas estavam tão felizes!
E pela primeira vez eu estava vendo o palhaço com outros olhos. Tentei enxergá-lo como minha mãe me disse que palhaços eram: encantados!
Fiquei vendo ele jogar balde de purpurina nas crianças, dar cambalhotas, tirar lenços infindáveis do bolso e dar uma linda rosa para uma garotinha que ficou com o sorriso mais lindo do mundo no rosto!

É, para ter o poder de tirar sorrisos de crianças, de poder fazê-las esquecer nem que fosse por alguns minutos de uma vida difícil, de fazê-las acreditar num mundo diferente, tinha mesmo que ser encantado.
Aos poucos fui me tornando como elas[...]"

8 comentários:

♥ Mαrcellα L. disse...

Lindo o seu blog, amei aqui!
Volte sempre no meu e desculpa a demora.

Lindo texto, boas lembranças vieram!

Caroline Farias disse...

Ai ai ai seu textos sempre me encantam, imagina esse!
Me trouzxe tantas lembranças de quem era pequena.
Eu ainda quero ler esse livro! *-*
beijo

Silvia Gonçalves disse...

Poxa...

Não vale...

Quero ler todo ele...

Qdo é o lançamento??

Bjs

Natália Corrêa disse...

Eu também senti o cheiro doce!

Vou esperar ansiosa pelo livro pronto! :D

Michy Lavigne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Michy Lavigne disse...

Ja é o meu preferido ^^

Sabe pq, né ?!

Agatha disse...

Sempre quis escrever um livro, até cheguei a começar alguns, mais desanimava. Quem sabe um dia não me bate um inspiração dessas (?) rs . Boa sorte com as suas composições.

Um beijo.

D* disse...

Adorei adorei adorei!! :)