6 de março de 2011

Procuro a graça

As vezes fico esperando o que eu nem sei.
É que sinto falta do amor.
Sabe como é pensar em algo romântico e não ter ninguém em mente?
Dói.
É um amor que espero, alguém que me faça flutuar e ver a lua tocar no mar lá na linha do horizonte.
Não sei quando vem. Mas dizem que vem.
Até lá, procuro encontrar alguma graça.


8 comentários:

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

O amor dá brilho à vida, completude à alma. Ser amado é um dos maiores presentes que podemos receber.
Mas isso não acontece todo dia, nem de uma hora pra outra. Mas é assim mesmo: coisas valiosas levam tempo. Alguns esperaram uma vida inteira...
Mas cuidado: a espera não pode nos distrair a ponto de acabarmos perdendo o amor que está ao lado.

Ana Flavya disse...

Pior do que ainda não encontrar o amor, é ter encontrado e não poder ter :/

Rafael Ayala disse...

Ah, Jéssica, eu tava assim também.
Mas fica bem, que ele vem.
O novo amor sempre vem.
Afinal, nós estamos aqui para sermos felizes (com um amor ou mesmo sem ele, mas se dá pra ter um, por qual razão não ter?)
Fica bem.
Beijos!
=]

Rafaella disse...

Vem, e quando vier vai compensar tudo isso que você está passando. Pode ser até preciso passar por isso, para ganhar força e estar preparada p'ra quando ele chegar =)

may disse...

Porque você não procura esse amor dentro de si?? :*

Luu disse...

Acho que com todas nós é um pouco assim, mas o amor nunca vem quando esperamos, e sim quando estamos distraídas.

Marcelo R. Rezende disse...

Eu acredito na graça involuntária, sem motivos.

Beijo.

Minne disse...

Me sinto igualmente à ti Jéssica, a ausência das borboletas no estômago dói sabe ? Fico me perguntando o que falta para elas voltarem. Por momentos esqueço, mas outrora a lembrança bate na porta e não quer nem saber se vai causar dor ou não.