14 de agosto de 2011

#HoradeOpinar

Notificação: E aí pessoal, tudo bem? Bom, o #HoradeOpinar vai estar presente aqui no blog todas as sextas-feiras (e só está hoje, domingo, porque estive mal de saúde esses dias). É uma tarefa da faculdade, onde terei que escrever textos opinativos sobre qualquer assunto que ganhe um certo destaque para mim na semana. Espero que curtam esse novo espaço aqui, e que me me deem suas opiniões. Lá vai.


Violência Urbana: De quem é a culpa?

Não foi nenhum fato visto na Tv que me chamou a atenção essa semana, foi algo que aconteceu por perto, na minha família, com meu irmão. É comum vermos todos os dias em todos os meios da comunicação se falar sobre violência, sobre assaltos, assassinatos, sequestros. E ficamos horrorizados, sim, é fato. Mas, é tão corriqueiro, se torna tão comum que até comentamos sobre o que vimos na rua, mas as nossas vidas continuam normalmente. É assim, não é? Pois então, mas chega um dia que essas coisas podem nos atingir. E foi isso que aconteceu.
Meu irmão, um homem formado, trabalhador, assim como tantos outros, saiu do trabalho e foi pegar um ônibus para ir até a casa da namorada. No meio da viagem alguns homens subiram no ônibus e resolveram assaltar as pessoas que estavam ali presente. Diante do que estava acontecendo, meu irmão foi agredido.
Dói muito mais quando o que a gente vê ser tão corriqueiro acontecer por aí, acontecer com um dos nossos. E parece que é só assim para corrermos e tentarmos agir contra isso. Percebi essa atitude, não só em mim, mas em todos da minha família que souberam do ocorrido.
Aí eu me pergunto, qual o motivo real de seres humanos, iguais a todos nós, agirem dessa forma com o outro? A cada dia que passa a violência só cresce. E enquanto pessoas são agredidas e até mortas, a burguesia se isola em seus carros de luxo blindados e nas suas mansões de segurança-máxima.
A questão é que estamos em um ciclo enorme e que não para. Para muitos é importante que a população esteja à margem da sociedade. Por quê? Porque assim serão passivos, e reprodutores do que ouvem; não irão questionar nada e agirão como marionetes. A educação pública tendo um buraco de deficiência, a saúde cambaleando. E como fazer não tendo uma educação de qualidade, e por tanto não conseguindo uma oportunidade de emprego digno e justo; sendo que a todo instante há um grito ensurdecedor de todos os lados dizendo para quem quer ouvir que para ser aceito é necessário ter dinheiro, o último lançamento do iphone, viajar para Europa e fazer o que quiser? É como se estivessem colocando essas pessoas contra à parede, todo o tempo. O que resta, é correr atrás para ser aceito. Roubar, sequestrar, traficar.
Não, eu não estou tornando essas pessoas como os coitadinhos da história, é óbvio que certas coisas influenciam sim, mas no fim, cada um pode mudar o seu destino, existem as inúmeras exceções.
O que quero destacar aqui, é que é necessário fazer alguma coisa para que a população toda tenha seus direitos atendidos, suas oportunidades, que possam ter direito a gozar da vida, como todos os outros.
Enquanto as questões básicas de cada um não foram atendidas, respeitadas, a violência só aumentará. E chegará um dia que nem de casa mais sairemos.
Pense nisso, e aja. Não espere acontecer com você para mudar.

2 comentários:

Israel Marinho disse...

Muito interessante,,, parabéns!

Felipe disse...

Você tocou num assunto bastante recorrente. Mas hoje ninguém está protegido totalmente dos "bandidos" independente da classe social. Acho que vivemos em uma sociedade muito mais complicada, não é fácil fazer as coisas ou pelo menos não parece. Devemos começar, primeiramente, para mudar com um ensino público de melhor e maior qualidade. E também devemos fazer com que a leis possam ser executadas, até porque elas existem e no entanto muitos fazem com que elas não sejam executadas.